14 de março de 2013

RYGEL: AGRESSIVIDADE, MELODIA E PERSONALIDADE


Com dois álbuns e um EP, o quinteto santista atualmente formado por Daniel Felipe (voz), Wanderson Barreto e Vinnie Savastano (guitarras), Ricardo Reis (baixo) e Vagner Silva (baixo) tem em seu mais recente trabalho, o álbum “Imminent” a fonte para alçar vôos mais altos.
Com base no heavy metal, a banda mescla passagens do thrash, progressivo e hard rock, o que credita personalidade, que fica mais evidenciada com as vocalizações de Daniel Felipe, que vai do extremo ao melódico, se destacando nas duas vertentes.
Nessa entrevista com Daniel e Wanderson, eles nos contam do atual momento, planos, conquistas e da recente mudança de formação do quinteto.

Por João Messias Jr.

Rygel (Antiga formação)
Divulgação
NEW HORIZONS ZINE: Primeiramente eu quero elogiar a banda pelo excelente trabalho apresentado em “Imminent”, que apresenta várias vertentes do heavy metal, mas com muita pegada, sofisticação e agressividade. Como chegaram nessa sonoridade?
Wanderson Barreto: Acabou chagando a esse ponto muito naturalmente em consequência as influências variadas de cada um. E outra que nós não nos importamos com rótulos, portanto o que nós fizemos, foi muito natural.
Daniel Felipe: É o resultado das influências e estilos de cada um, que, somados, resultam nessa forma de se expressar, mais agressiva, direta, mas sem perder os elementos melódicos que marcaram o heavy metal e o próprio início da banda.

NHZ: Podemos dizer que um dos “símbolos” dessa sonoridade conquistada pela banda é o vocalista Daniel Felipe, que usa com sabedoria agressividade e melodia. Daniel, quais os cuidados que teve ao registrar suas partes no CD?
Daniel: Fico muito contente em saber disso! Bem, a grande concentração das gravações foi expressar exatamente o que as letras tinham a dizer e, também, soar de uma forma que pudesse complementar a sonoridade que já tínhamos em instrumental. Vivenciar cada sentimento e sentir a vibração de cada trecho de cada música sempre foi meu foco, e a banda me deu toda a liberdade pra isso!

NHZ: Algumas músicas merecem menção especial, como “Leave Me Alone”, que é um ótimo metal tradicional e a balada “Memories”, que possui melodias que lembram o flamenco. Conte-nos do processo criativo dessas canções e se elas fazem parte do set list de vocês.
Wanderson: Essas duas músicas foram músicas baseadas na minha vida pessoal. A Leave me Alone foi um recado para uma pessoa que passou na minha vida e a Memories foi baseado num discurso da minha avó em um almoço de família! (risos) Eu sentei com o Anibal nas duas músicas, coloquei um tema na mesa e desenvolvemos as músicas, mas sempre seguindo idéias iniciais que tive. Essas músicas estão presentes em nosso show acústico que de vez em quando nos convidam pra fazer! No plugado normal, não estão no set!

NHZ: Outro destaque é a faixa Damnation, que é uma das mais agressivas do disco. O som conta com a participação do vocalista do Korzus, Marcello Pompeu, que aliás produziu o álbum. Como pintou a participação e o que acham do resultado?
Wanderson: Os caras são nossos brothers hoje e o lance acabou fluindo... Pompeu escolheu a música e ficou muito legal!

Daniel: Essa música traz, de forma direta, uma crítica aos governantes, que deixam a população ao léu, para fazerem jogos de poder entre suas nações. Daí a agressividade.
O Pompeu, assim como toda a equipe do Mr. Som se envolveu com o trabalho todo e ficamos muito amigos. Daí é que surgiu a ideia de convidá-lo para participar e ele escolheu uma música para cantar, identificando-se com a pegada da Damnation, trazendo ainda mais peso pra música. A gente curtiu demais!

NHZ: A banda possui como ferramenta de divulgação o vídeo de “Just One”. Como estão os acessos e qual a importância desse tipo de material para a promoção da banda?
Rygel (Antiga formação)
Divulgação
Wanderson:  Hoje em dia é fundamental um bom vídeo clipe para a divulgação de um trabalho e com o just one, conseguimos entrar na mtv e tb tem o youtube que é uma excelente ferramenta de tralhado de marketing. Portanto, sempre será de extrema importância um bom video clipe!
Daniel: É fundamental! As bandas precisam, além do áudio, divulgar o trabalho através de vídeo, que mostra a pegada e a identidade do grupo. Graças ao material visual, abrimos muitas portas na mídia, e a visualização dele tem sido muito boa por ser nosso primeiro trabalho. Em breve saem mais dois, que estão no forno, que podemos comentar em uma próxima entrevista (risos)

NHZ: O trabalho anterior foi lançado pela Die Hard, já Imminent pela Voice Music. Qual o motivo da troca dos selos?
Wanderson: Proposta de trabalho melhor!
Daniel: Basicamente, o que o selo tinha para oferecer à banda. E, como muitos selos nacionais não oferecem nada além de um carimbo, procuramos trabalhar com alguém que se envolvesse um pouco mais com nosso trabalho.

NHZ: Já no exterior a banda conta com o suporte da Power Prog e Nightmare Records. Como elas estão divulgando o trabalho por lá?
Wanderson:  Você conseguir um selo fora é outra história, pois lá a cultura é outra. Lá eles querem investir de certa forma em você, e correm atrás de divulgar o seu nome, pois se o seu nome cresce, o deles também cresce! E estamos muito felizes com essa conquista.

Daniel: Tudo foi viabilizado através do Ricardo, nosso baixista, que iniciou o contato com a Power Prog! Eles se interessaram e apresentaram uma proposta de distribuição mundial, que já conta com a parceria da Nightmare e da própria Century Media, que vão apenas distribuir os CDs. A venda online tem sido muito boa e recebemos ótimas notícias de vendas pela Amazon. A divulgação está bem legal, já que demos algumas entrevistas para o exterior também.
Temos sete anos de contrato com a Power Prog , que já pretende investir em muitos planos da banda, o que é incrível, se compararmos com a inércia da maioria das gravadoras nacionais.

NHZ: Falando em exterior, vocês estão participando de uma coletânea só com bandas daqui, como Shadowside e Pastore. Conte-nos desse projeto e no que ele está ajudando na divulgação do Rygel.
Wanderson: É uma honra participar de um lance desse pois significa que você está fazendo um bom trabalho. Isso é reconhecimento de esforço e uma paixão pelo que fazermos. E isso está nos ajudando a divulgar nosso nome pelo mundo afora!

Daniel: A coletânea é muito legal e coloca nosso nome ao lado de ótimos expoentes do metal nacional! Estamos muito felizes por termos bandas de tamanha qualidade e estarmos no mesmo rol. Além da coletânea, a rádio Power Prog tem, em sua programação, um horário dedicado a mostrar bandas nacionais! Tudo isso ajuda muito a consolidar nosso nome aqui e levá-lo além-mar (risos).

Vinnie Savastano
Divulgação
NHZ: Após o lançamento de “Imminent”, a banda sofreu uma baixa na formação, com a saída do guitarrista Aníbal Pontes. Essa mudança chega a atrapalhar os planos da banda?
Wanderson: Foi realmente uma pena que meu amigo Anibal saiu, mas já temos um substituto à altura que se chama Vinnie Savastano. Os próximos clipes do RYGEL já estão sendo filmados com ele. E eu e o Anibal passamos tudo pra ele. Não teremos o menor problema, mas sentiremos muitas saudades do nosso amigo!

Daniel: É impossível descrever em palavras o que o Aníbal representa para a banda. Criativo, amigo, dedicado, um músico que vai além dos paradigmas e mostra um estilo único em cada riff ou solo, que destacavam harmonia em meio a tanto peso. Porém, o navio segue o curso e temos o ingresso de um novo tripulante, repleto de qualidades, virtuoso e também muito parceiro, nosso amigo Vinnie Savastano.
Os planos seguem os mesmos, firmes e fortes, até porque o Aníbal continua auxiliando a banda, mesmo de fora, especialmente porque irá residir em terras europeias. Desejamos a ele toda a felicidade que ele merece, e que siga o rumo das estrelas, seus verdadeiros semelhantes.

NHZ: Vocês participaram de uma seletiva mundial, que possui como prêmio a participação no festival “Sweden Rock”. Como rolou a oportunidade de partcipar e como anda o concurso?
Imminent
Divulgação
Wanderson: Foi uma surpresa! Nunca esperávamos que isso fosse acontecer, mas ficamos muito felizes como  reconhecimento. Infelizmente não rolou, mas isso significa que os gringos gostam do nosso trabalho e que estamos no caminho certo! Quem sabe uma próxima vez....

Daniel: Ficamos muito surpresos com o imenso apoio que recebemos da galera, especialmente os que votaram diariamente. Chegamos a estar no rol das 25 selecionadas para a segunda fase, mas nos dias finais caímos em posições e não prosseguimos. Contudo, essa participação mostrou que temos o nível para estar em festivais desse porte e que estamos no caminho certo. Temos certeza que esses resultados devem surgir, especialmente com os novos clipes, o próximo álbum, e uma tour pela Europa.

NHZ: Para encerrar, vou citar alguns vocalistas do meio metal e queria a opinião de vocês a eles: Geoff Tate (ex-Queensryche), Chris Bothedahl (Grave Digger), Hansi Kursch (Blind Guardian) e Zak Stevens (Circle II Circle, ex-Savatage).
Wanderson: Geoff: Muito técnico e dinâmico. Gosto muito da maneira que ele canta em Operation Mindcrime.
Botendahl: É uma das vozes do metal tradicional. Agressivo e bastante "sujo"  adoro o trabalho dele em EXCALIBUR!
Hansi: É um dos mestres no meio do Heavy metal em geral. Ele é completo! E "Imaginations" Do Blind é um album que ele dá uma aula de vocal para o Heavy metal!
Zak: Um bom vocalista, mas eu não sou muito fã do trabalho dele depois do Savatage.

Daniel: Geoff; um cara inusitado, com uma voz que encontra muito conforto na região alta, soa um pouco esquisita, mas é marcante, melódica e casa perfeitamente com a dinâmica do Queensryche.
Boltendahl: Dono de um gutural que revela sua origem germânica (risos). Agressivo, sujo, que é a cara do Grave Digger, mas que surpreende quando canta limpo. Pra mim é uma referência.
Hansi: O terceiro alemão da lista (risos). Esse aí é o mais versátil que já ouvi, capaz de compor e cantar coros, completo, de uma dinâmica que entende cada momento da música, de uma voz potente e soberana. É a marca registrada do Blind.
Já o Zachary é uma lenda. Seu timbre é maravilhoso (pra mim, só o Nando Fernandes tem um timbre tão perfeito), que brinca com o melódico e o agressivo de forma muito sensível e improvisada. O cara é um monstro

NHZ: Obrigado pela entrevista e deixem uma mensagem aos leitores desta publicação.
Wanderson: Obrigado pelo apoio e fiquem ligados que nesses próximos meses saem 2 novos videos clipe do nosso último disco... e Estaremos lançando alguns outros trabalhos de divulgação envolvendo a banda! Fora shows no meio do ano que estão sendo marcados... Fiquem ligados e METAL RULES!
Daniel: Galera, obrigado pelo espaço aqui na NEW HORIZONS ZINE, que possamos velejar muito por todos os horizontes! Confiram os novos clipes da banda, que saem logo menos, assim como o lançamento acústico de uma das músicas do álbum, e nosso novo guitarrista, Vinnie Savastano! Abraço a todos e muito heavy metal aí!

Nenhum comentário: