21 de outubro de 2014

CONFIRAM COMO FORAM AS APRESENTAÇÕES DOS GRUPOS KATAPHERO, CHAOS SYNOPSIS E KAMALA NO ABC PAULISTA

Apresentações em Santo André e São Bernardo do Campo foram marcadas por performances consistentes e estilos variados

Texto e fotos: João Messias Jr.

Kataphero
João Messias Jr.
Os dias 10 e 11 de outubro (sexta e sábado) foram marcados por apresentações das bandas Kataphero, Chaos Synopsis e Kamala no ABC paulista. As duas primeiras se apresentaram na sexta em Santo André e sábado em São Bernardo junto com o pessoal do Kamala.

No primeiro dia, a casa escolhida para a festa foi o 74 Club, que já foi palco de bandas como Lama Negra, Ação Direta, HellArise, Threat e Macchina, que para quem não conhece possui no piso superior um bar aconchegante para os fãs do underground, com capas de discos, cartazes de shows e posters de filmes thrash, cujo palco para apresentações fica no andar de baixo.

Chaos Synopsis
João Messias Jr.
Previsto para início às 20h, as apresentações começaram mais de duas horas depois, pois as bandas tiveram problemas no trajeto para o ABC. Dessa forma, apenas às 22h30, o Kataphero iniciou seu set. Sem tempo para colocarem pinturas e indumentárias, o quarteto formado por Paulo Santiago (voz e guitarra), David Cantidio (guitarra), Phelippe Melo (baixo e voz) e Lucas Somenzari (bateria), mostraram músicas de seu primeiro álbum, “Life”, que mostra um black metal climático, técnico e com muitas referências ao metal tradicional, empolgando quem estava no espaço. Uma pena que, por se tratar de um bairro residencial,  o tempo da apresentação foi reduzido para 20 minutos, o que deixou um gosto de quero mais. Vale lembrar que o grupo , oriundo do Rio Grande do Norte, possui 15 anos de estrada e fizeram neste mês a primeira tour pelo Sudeste.

Sem tempo para passar o som, às 22h55 o Chaos Synopsis, que substituiu a banda Chemical no evento, mostrou seu poderoso death/thrash aos andreenses. Se apresentando como um power trio, pois o guitarrista JP não pode vir,  Jairo Vaz (baixo e voz), Marloni (guitarra) e Friggi Mad Beats (bateria) além de caras muito legais e acessíveis, sabem reverter as adversidades ocorridas, transformando tudo numa baita festa. Uma pena que tiveram apenas 20 minutos para mostrar sua música, pesada, mórbida e energética, que teve como destaques as músicas “Rostov Ripper” e “Sarcastic Devotion”, numa noite que mais uma vez ficou devendo no quesito público.

Ação beneficente com muito rock

Chaos Synopsis
João Messias Jr
No sábado (11), o show ocorreu no município vizinho, em São Bernardo do Campo, no Centro Cultural do Taboão. Localizado na periferia da cidade, o evento foi de caráter beneficente, cuja entrada era a doação de um brinquedo em bom estado, cuja arrecadação seria distribuída no Dia das Crianças.

Antes das bandas principais, o evento contou com duas bandas locais. Já eram 15h quando  a Listen começou as apresentações. Como mandaram apenas covers, dificulta falar mais do grupo em si. Já a segunda mostrou um grupo muito talentoso. Mesclando canções próprias com covers, o trio formado por James Anselmo (guitarra e voz), Victor Martinez (baixo e voz) e Edclife Gasparini (bateria e voz) chamou a atenção por serem ótimos músicos e pelas canções bem construídas como “Herói”. Uma pena que a galera agitou no som deles apenas quando tocaram covers, pois o S3lfy é um grupo que tem tudo para ser destaque na cena, inclusive na mainstream, pois o hard/pop da banda é além de cativante, é grudento e pra lá de bem feito.

Hora do metal

Kataphero
João Messias Jr.
Após quase uma hora de espera, às 19h, o Kataphero iniciou sua apresentação. Devidamente maquiados e com suas indumentárias, o quarteto fez um ótimo set, que privilegiou músicas do seu debut, “Life”. Com mais tempo, os caras mostraram todas as variações possíveis existentes em sua música, que agradará desde fãs de metal tradicional até grupos como Rotting Christ  e Dissection. Com uma boa vontade dos headbangers, eles têm tudo para se tornarem um dos maiores nomes da música extrema nacional.

Kamala
João Messias Jr.
A próxima banda foi o Kamala. Após uma ruptura, a banda atualmente um trio que conta com Raphael Olmos (guitarra e voz), Allan Malavasi (baixo e voz) e Estevan Furlan (bateria e voz) mostraram que essa nova fase pode render ótimos frutos. Privilegiando o terceiro álbum “The Seven Deadly Chakras"(lançado antes das mudanças), o atual formato do grupo deixou tudo mais compacto e direto, como na abertura com “Envy” e “Root”, cujas alternância de vozes foram o destaque, pois os músicos possuem diferentes timbres, que gerou contrastes interessantes nas canções.

Mas isso foi apenas o começo, “The Fall”, “Consequences” mantiveram o pique, além da nova “Becoming A Stone” mostrou uma música mais direto ao ponto, que gera expectativas positivas para o próximo disco, que começa a ser gravado no fim deste ano. “Crown” deu números finais a apresentação, que foi o melhor da noite.

Chaos Synopsis
João Messias Jr.
Finalizando o evento, o Chaos Synopsis mostrou seu death/thrash inspirado em serial killers. Mais uma vez como power trio, desta vez com JP nas guitarras, o grupo abriu o set com “Son of Light”, do mais recente registro do grupo, “Art of Killing”, que possui uma das capas mais bonitas  e brutais do estilo. Com uma performance empolgante e divertida, a banda mesclou canções de seus dois trabalhos, que tiveram como pontos altos, “B.T.K”  e “Sarcastic Devotion”, do debut “Kvlt ov Dementia”. Vale lembrar que o grupo será o único representante nacional na nova edição do Extreme Hate Festival, que acontece no mês de dezembro em São Paulo e terá no cast grupos como Crytopsy e Suffocation.

A ausência de público foi um fator irrelevante perto do caráter beneficente do evento, que com a entrada de um brinquedo, brindou os presentes com apresentações memoráveis do bom e velho rock and roll, que além da música, fez a alegria de muitas crianças. 

Nenhum comentário: