13 de fevereiro de 2012

MADAME SAATAN: RESPIRA...QUE AQUI TEM PESO

Por João Messias THE ROCKER

Com 08 anos de estrada e dois discos lançados, o quarteto paraense formado por Sammliz (Vocal), Ed Guerreiro (Guitarra), Ícaro Suzuki (Baixo) e Ivan Vanzar (Bateria) mostrou que com o seu mais recente lançamento, Peixe Homem (2011) uma nova opção aos fãs de som pesado!

Mesclando o peso do Thrash Moderno (Pantera, Korzus, Overdose) com passagens mais densas (Disturbed) e um tempero regional do seu estado cravou um tiro certeiro em nosso peito nos fazendo render imediatamente a sua música. E esse reconhecimento foi praticamente imediato, pois mesmo com três meses de lançamento, Peixe Homem foi considerado o melhor álbum do ano por muitos sites e revistas.

Neste papo com a vocalista Sammliz, a moça nos contou da repercussão do álbum, as etapas de produção e uma história muito curiosa com uma outra banda conhecida do Pará!

Vamos a entrevista:
NEW HORIZONS ZINE: A banda lançou seu segundo álbum, Peixe Homem em setembro de 2011, e pouco tempo depois vocês o disponibilizaram para download gratuito. Por que o fizeram logo após o seu lançamento e como estão os acessos?
Sammliz: A finalidade principal de liberar o disco é divulgar, com isso pessoas que não comprariam o disco acabam conhecendo, gostando (ou não) e comprando, como aconteceu. O número de downloads foi bem alto e satisfatório.

NHZ: E vocês possuem um esquema interessante de venda de merchandising, não se restringindo apenas ao esquema de CD e camisetas, tendo outros itens como canecas por exemplo. Por que de fazerem produtos diferenciados e quais deles que mais se destacam nas vendas?
Capa do Cd Peixe Homem
Divulgação
Sammliz: Achamos interessante oferecer produtos diferentes ao público e dar mais opções de escolha e preços. Gosto quando encontro material que vai além do kit cd/camiseta. Além do cd e camisas em 3 modelos, temos bottons, posters, canecas e bolsas. Olhando o negocio como 'negocio', você percebe a necessidade de diversificar o alcance da marca, por isso tantos produtos diferentes. No top 4 de vendas estão CDs, camisas, adesivos e bottons.

NHZ: Peixe Homem foi considerado um dos melhores discos de 2011 em diversos sites e revistas. Como vocês se sentem com esse reconhecimento?
Sammliz: Ficamos muito felizes, nem lembrávamos que todo fim de ano costumam fazer essas listas e não estávamos esperando. Ficamos surpresos e mais felizes ainda quando notamos que não entramos somente em listas de discos de rock/metal, mas em listas de lançamentos nacionais. Foi uma vitória para nós, batalhamos muito pra realizar esse trabalho e espero que isso seja um prenúncio de que vamos ter um ano com muitos shows pela frente e bons desdobramentos.

NHZ: E vocês não mediram esforços para isso, pois a produção está muito bem feita e com cara de ao vivo. O que os levaram a chamar Paulo Anhaia para produzir o disco e Alan Douches para masterizá-lo?
Sammliz: As músicas do novo disco estavam mais pesadas e estávamos exatamente a procura de um produtor para fazer com que ele soasse o mais perto possível de como somos ao vivo. Pensamos em alguns nomes e através de uma pesquisa chegamos ao Paulo e ele tem uma bagagem e tanto. A lista de trabalhos dele é extensa e diversificada, ganhou Grammys por alguns deles, que abrange de pop até bandas de metal, aliás, algo que ele entende muito bem (Paulo foi idealizador, vocalista e baixista do Monster). Paulo nos ajudou na procura das melhores timbragens e extraiu o máximo de nós. Foi maravilhoso poder trabalhar com um profissional como ele, aprendemos muito. Mandamos para Alan Douches fazer a masterização no EUA porque achamos que a ela poderia vir com uma pressão a mais e o trabalho ficou exatamente do jeito que queríamos.

NHZ: E como ferramenta de promoção, vocês fizeram um vídeo para Respira, que sintetiza bem este espírito do trabalho. Vocês pensam em fazer outros vídeos para divulgação?
Sammliz: Foi gravado juntamente com Respira, o clipe de Até o Fim, os dois sob direção de P.R Brown, e este último deve ser lançado em breve. Gostamos muito de produzir clipes e pretendemos fazer outros.

NHZ: A banda é do Pará, e há alguns anos está establilizada em São Paulo. Como vocês vêem a cena para o Rock na região Norte do País e citem algumas bandas de destaque de lá.
Sammliz: Estamos há quase 4 anos em São Paulo e acabamos ficando por causa do desenrolar das coisas boas que aconteceram após nossa chegada para uma curta temporada. Além de claro, facilitar nossa circulação. A cena rocker no Norte do Brasil é fervilhante, vai muito bem, e em Belém posso destacar: Delinquentes, A Red Nightmare, Warpath, Anúbis, Maquine, Elder Effe, Aeroplano e Projeto Secreto Macacos.

NHZ: Peixe Homem está bem mais pesado que o debut, principalmente os timbres de guitarra, que lembram muito bandas nacionais como Korzus e o saudoso Overdose na sua última fase. Como foi a busca para essa sonoridade e quais as bandas que vocês estavam ouvindo nesta época?
Sammliz: Estávamos à procura de timbres mais pesados do que os do primeiro disco porque conceitualmente e sonoramente esse trabalho pedia algo mais denso. Fizemos muitos testes para achar esse som, e como disse acima, Paulo foi fundamental nessa busca. Testamos vários amplificadores e simuladores até chegar ao resultado final. Dessa vez nos permitimos usar alguns efeitos e camadas para que cada música tivesse sua identidade. Ouvimos muitas bandas, trabalhos antigos, álbuns clássicos de rock/metal e Paulo mostrou muita coisa que poderia ou não servir de referência. Entre tudo isso o que vem logo a lembrança são coisas como: Mastodon, Kiss, Motley Crue, Slayer, Judas Priest, Anthrax e Lamb of God.
Madame Saatan
Foto: Gabriel Wickbold

NHZ: E mesmo estando em um selo independente, vocês chegaram a muitos lugares. Como é esse esquema de divulgação e o que estão achando do resultado?
Sammliz: Para o lançamento do disco contamos com a Assessoria de Imprensa da Perfexx, que trabalha com grandes gravadoras e artistas de massa. Mas a maior parte da nossa divulgação vem mesmo da guerrilha, internet, fãs, boca-a-boca. Resumindo: muito trabalho.

NHZ: Vocês já fizeram apresentações em diversos estados nacionais e sempre com uma ótima resposta do público. Visto que cantar no idioma pátrio não é empecilho nenhum, vocês pensar em se apresentar no exterior ou mesmo visitar os países da América do Sul?
Sammliz: Sim, pensamos em tocar em outros países da América do Sul e por aí afora. Vamos ver o que acontece ao longo do ano, queremos tocar bastante no Brasil, fazer bastante festivais, e com certeza aproveitaremos boas oportunidades na gringa quando surgirem.

NHZ: Para encerrar, conte nos do encontro que tiveram com o Calypso num programa de TV, pelos dois grupos serem da mesma região, como apareceu esta oportunidade, e o que gerou de divulgação para a banda?
Sammiliz: A produção do Altas Horas tinha nosso material e há algum tempo tentava nos encaixar em um dos programas. Fomos convocados para fazer primeiramente um que foi adiado e qual não foi nossa surpresa quando fomos convocados pela segunda vez e soubemos que faríamos o Altas Horas com nossos conterrâneos do Calypso. Foi só alegria porque todo mundo ali além de ser grande profissional, é tudo gente muito boa. Tudo bróder. Bem, aparecer em um programa da Rede Globo é avassalador em termos de divulgação e foi excelente para nós aquela aparição. Isso tem uns 2 anos e meio e até hoje contabilizamos fãs por conta disso. Quem sabe com esse novo disco venham novos convites dessa e de outras grandes emissoras.:)

NHZ: Muito obrigado pela entrevista! O espaço é de vocês!
Sammliz: Nós que agradecemos o espaço, parabenizamos pelo blog, que é ótimo, e convidamos os leitores que não nos conhecem conferirem nosso site,. Lá há links para a nossa página no FB, Twitter,nossos produtos além do nosso novo disco para baixar. Grande beijo!!!

Nenhum comentário: