23 de fevereiro de 2016

QUE PERMANEÇAM NO ROCK AND ROLL

Quarteto de Bauru apresenta um rock and roll bem elaborado com melodias que se aproximam do pop

Por João Messias Jr.

Ressaca
Divulgação
Por mais que ficamos a beira da loucura quando vemos que temos uma infinidade de material para avaliação, o que devemos fazer sempre, mesmo que demore um pouco mais é ouvir o trabalho de ponta a ponta para dar a merecida descrição do mesmo. Isso vale até para alguns trampos que fogem um pouco do que está acostumado a avaliar, como o trampo dos caras da Overhead Rock,  que carinhosamente chama-se Ressaca.

Julgando pela capa, logo nos vem na cuca uma banda tipo o saudoso Motörhead, Baranga e afins, mas não é bem o que André Moreno (voz e guitarra), Bruno Bevenutti (guitarra), Brendel Alba (bateria) e Ivo Ferreira (baixo) fazem aqui. 

Praticantes de um rock and roll despojado que em muitos momentos bate na porta do pop acertam  a mão em muitos momentos, com canções que agradará em cheio fãs do estilo e mesmo aqueles que ouvem todo o tipo de música. Isso acontece graças ao talento dos envolvidos, em especial dos vocais de André, que tem como referências James Hetfield (Metallica)  e Chad Kroeger (Nickelback), que são o ponto alto do trabalho.

Músicas como Overhead, a energética Tangente, a elaborada Evolução e a balada Situações Incertas mostram que músicos na mesma vibração tendem a fazer músicas especiais.

A única ressalva fica por conta de algumas passagens mais acessíveis, como em Muro, que geram uma interrogação na cabeça do leitor, pensando o que o futuro reserva ao grupo. Se continuarão no rock ou abraçarão o pop. Não por ser um fã do estilo, mas torço para que os caras continuem no rock and roll.

Um comentário:

Andressa Sanches disse...

Espere o proximo do Cowboys do Asfalto abraços Ivo Ferreira - overhead