5 de janeiro de 2013

ÓTIMAS LEMBRANÇAS...


A primeira matéria do ano vem em forma de retrospectiva do melhor do 1° Semestre de 2012

Por João Messias Jr.

Sei que TODO MUNDO sempre fala que um ano foi melhor do que o anterior e por meio de gráficos e todas aquelas estatísticas que estudantes de marketing e administração adoram comprovam o quão produtivo foram os doze meses de tal período.

Patricia Tapia KHY
Divulgação
Eu não estou fazendo demagogia e nem querendo apenas vender o peixe, mas o ano de 2012 ocorreram coisas muitas legais para o NEW HORIZONS. Uma delas foi o dobro de matérias publicadas em relação aos anos de 2010 e 2011.

Claro, não foi uma intervenção divina e houve muito trabalho envolvido. Mas o principal fator foi a confiança do público, bandas e assessorias em relação ao blog. Fica aqui meu muito obrigado pelo voto e como uma forma de agradecimento, resolvi fazer uma retrospectiva que será dividida em duas partes. A primeira, correspondente ao período de janeiro a junho, vocês conferem agora:

Tristeza momentânea

Os primeiros meses do ano ficaram marcados pelo fim da banda Rei Lagarto, que após o ótimo álbum The Forgotten Road, os integrantes resolveram seguir caminhos diferentes. Dentre os novos projetos, o vocalista Fabiano Negri veio logo com duas bandas novas, que à exceção da voz, muito pouco lembra o seu antigo grupo: Unsuspected Soul Band, que é um tributo à música negra e o Dusty Old Fingers, que possui uma sonoridade setentista e tem como tema do primeiro álbum a vida do eterno guitarrista dos Rolling Stones, Brian Jones.

Mulheres com garra

A alegria também marcou a primeira metade do ano. Bandas como a santista Shadowside e a paraense Madame Saatan, que embora possuam propostas musicais diferentes, tem em comum o fato de ter lindas vocalistas e executarem músicas fortes, intensas e que podem servir como uma trilha sonora para encarar as batalhas urbanas.
Os discos em si possuem histórias interessantes, como a primeira, que gravou o álbum Inner Monster Out no exterior e a Madame, em Sampa, com o produtor Paulo Anhaia, conhecido por seus trabalhos com grupos como CPM 22, Fresno, Resgate e Fates Prophecy.

Novidades vindas da Espanha

Outra novidade foi o fato de ter sido publicada a primeira entrevista com um grupo de língua espanhola. Patrícia Tápia (Mago de Oz, ex-Nexx) nos contou as novidades de seu atual trabalho, o KHY, que diferente do Hard/Heavy praticado por seus grupos, surpreende positivamente pelo fato de mesclar guitarras pesadas com um efeitos eletrônicos, que soam interessantes.

Giro no Nordeste e Hard dos 80

Uma amizade que gerou um intercâmbio. Sim, é o que podemos dizer que ocorreu entre as bandas Necromesis, do ABC paulista e os pernambucanos do Cangaço. Após proporcionarem aos novos amigos do nordeste a oportunidade de tocarem aqui no Sudeste, os manos retribuíram a gentileza para que os paulistas conhecessem as terras de Lampião e ACM. Dessa forma, fizeram os bangers lá de cima conhecer seu mais recente trabalho, o EP Evolving to an Underworld.

Já o Slippery provou o que independente de estilo e época, a boa música sempre terá espaço nos meios de comunicação. O primeiro álbum “full” do grupo, chamado First Blow mostrou que o Hard oitentista tem espaço em todas as casas de shows e na prateleira de CDs dos bangers.
Sons como a faixa título, Follow your Dreams e a competente versão para Night of the Demon (Demon) já podem ser consideradas clássicas e assim, cravaram um lugar na história Hard no Brasil.

Shows, shows e mais shows

Mark Farner
Foto: João Messias Jr
Claro, houveram muitas apresentações de peso tanto dos gringos, como das bandas daqui. Confesso que foi uma difícil escolha destacar os melhores, mas alguns que mereceram uma menção a mais foram os pocket shows da RavenLand, cujas canções no formato acústico, ficaram mais sofisticadas e obscuras, além de provar que a banda está no auge criativo, principalmente pelo jogo de vozes entre Dewindson Wolfheart e Juliana Rossi.

Além de apresentar o novo guitarrista, a banda Combate Vertical mostrou novas músicas que apontam um direcionamento mais pesado e que têm tudo para fazer um segundo disco tão poderoso quanto o debut Imagem de Deus.

Os veteranos do Necromancia fizeram o lançamento do seu terceiro CD, que tem o sugestivo título de Back From the Dead, mostrando que assim como o Hard Rock, o Thrash Metal nunca vai morrer, pois o trio soube atualizar sua música sem soar tendenciosa.
Para encerrar, uma das melhores apresentações vistas na vida: Mark Farner. A eterna voz do Grand Funk Railroad veio pela primeira vez ao Brasil. Dono de uma energia e carisma incomparáveis, esse senhor que já tem mais de 60 anos, não apenas lotou o Via Marquês em São Paulo, como fez todo mundo dançar ao som de We’re American Band e The Locomotion.
Esses foram alguns dos destaques do primeiro semestre de 2012. Logo logo tem o período de julho até  dezembro.

Nenhum comentário: