20 de novembro de 2014

WALSUAN MITERRAN: BOM GOSTO E SENSIBILIDADE

"Feelings of the Soul", novo trabalho do guitarrista goiano apresenta uma música instrumental variada e sofisticada

Por João Messias Jr.

Feelings of the Soul
Divulgação
Esse universo das resenhas acaba nos proporcionando a oportunidade de conhecer muita coisa que em situações normais jamais ouviríamos, em especial a música instrumental. Desde então, os meus ouvidos foram brindados com trabalhos de qualidade ímpar de caras como Marcos De Ros, Cauê Leitão, e músicos "bandeiros" como Rafael Iak (Woslom) e Thiago Oliveira (Seventh Seal) que possuem em comum o fato de agregarem novas texturas as canções, fazendo algo diferenciado e até com ares exóticos.

Mas Feelings of the Soul, novo álbum do músico Walsuan Miterran vai na contramão da busca de um novo conceito. Aqui o guitarrista faz uma espécie de tributo aos heróis da guitarra dos anos 80. Se pensou em caras como Paul Gilbert (Mr. Big, Racer X), Jason Becker (Cacophony) e John Petrucci (Dream Theater acertou, mas aqui a melodia e a preocupação com o feeling são a prioridade. 

O início com Beyond the Sky e Heaven Or Hell dão indícios que será um trabalho voltado ao fusion e neoclássico, mas felizmente a partir de Death Is Not the End a coisa muda de figura, pois a bolachinha cresce em variedade e bom gosto, mesclando outros estilos, inclusive vertentes não tradicionais, como Metal Brasil, que como o nome  sugere é calcada nos ritmos regionais da nossa terra que ganha um bem encaixado acordeão (a cargo de Santhiago Lamass).

Outros momentos de muita comoção são Eternal Love e Water Under the Bridge, que mesclam progressivo, hard, AOR, melodias bem sacadas, além de ser um sopro de esperança aos desacreditados por qual seja lá os motivos.

Gos's Time investe no prog mais guitarreiro e Memories of You lembra muito as trilhas feitas por caras como Vai e Satriani, onde Walsuan mostra que aprendeu direitinho as aulas desses ases do instrumento.

Mas o nosso amigo guardou o melhor para o final. Versões playback para as já citadas Eternal Love e Memories of You, que acabam fazendo o leitor ouvir o trabalho por diversas vezes. 

Com Feelings of the Soul, Walsuan Mitterran cometeu a proeza de não apenas fazer a guitarra cantar, mas o ouvinte se emocionar e chorar.

Nenhum comentário: