13 de junho de 2007

INTERVIEW - SANTAREM


ESTAMOS DIANTE DE UMA BANDA DIFERNCIADA, FAZENDO UM MIX DE ROCK/HARD/PROGRESSIVO, LANÇARAM UM EP E UM FULL LENGHT ELOGIADOS PELA CRÍTICA E APROVEITANDO O ATUAL MOMENTO DA BANDA, FIZ UMA ENTREVISTA COM O GUITARRISTA ALEX ANDREONI.
NEW HORIZONS ZINE: Após a boa repercussão do mini-álbum SANTAREM, vocês participaram da coletânea HAMLET e do tributo a banda TARANTULA de Portugal, como surgiu à oportunidade de participar destes trabalhos?
ALEX ANDREONI: Estávamos "recem-contratados" pela DIE HARD RECORDS e eles estavam muito impressionados com o estilo próprio do SANTAREM, as bandas que participariam do projeto HAMLET já estavam escolhidas, mas a DIE HARD resolveu incluir o SANTAREM de qualquer maneira. Quanto ao TARANTULA a gravadora RECITAL RECORDS de Portugal conheceu o primeiro EP do SANTAREM através de contatos com a DIE HARD e nos convidou a participar da coletânea também devido ao estilo nosso personalizado.
NHZ: Tempos depois vocês lançaram o “FULL LENGHT” DOWNTOWN STATION, como foi à repercussão deste álbum?
ALEX: Foi um álbum muito esperado, pois lançamos o EP SANTAREM, em seguida participamos do CD HAMLET e do CD TARANTULA TRIBUTE. Isso fez com que a galera ficasse muito "necessitada" de um CD completo do SANTAREM, infelizmente não fizemos muitos shows de divulgação do álbum, pois algumas intrigas internas (que culminaram com saída do baterista e do vocalista) nos impediram de cair na estrada como gostaríamos.
NHZ: Ainda falando do álbum que possui um estilo bem próprio, além do belo trabalho de capa, letras e encarte, onde vocês abordam uma temática diferente, falando da noite, desde as pessoas que moram nas ruas até gente que vive o estilo “BY NIGHT”, de onde surgiu a inspiração para este conceito?
ALEX: Na verdade, a idéia completa do álbum foi retratar o universo onde o SANTAREM vivia, ensaiava e criava as musicas. Ensaiávamos no bairro do Bom Retiro (no estúdio do nosso ex-baterista) próximo ao centro de São Paulo... Todas as fotos do álbum são de lugares que passávamos toda semana e que faziam parte de nosso universo paulistano.
NHZ: Mesmo com um bom trabalho a banda sofreu mudanças na formação, com a saída do baterista Fernando Witcoske e do vocalista Guilherme Mistretta, que foram substituídos pelo vocalista Thiago e o baterista Agenor Valone, diga-nos o que esperar desse “novo” SANTAREM?
ALEX: Nós buscamos músicos que fossem bons tecnicamente e principalmente que tivessem personalidade e criatividade para fazer parte ativa na banda. Quem já ouviu algumas musicas novas ficou impressionado com as novidades, mas garantem que a banda conseguiu manter o "estilo SANTAREM", isso é muito gratificante e realmente acho que fizemos as escolhas certas. NHZ: Em tempos de pirataria, como uma banda underground consegue vender seus álbuns, ainda mais num mercado tão grande e competitivo?
ALEX: Por mais estranho que pareça ainda é difícil dizer se o mp3 e a pirataria ajudam ou atrapalham uma banda underground. Em termos de divulgação tudo ajuda bastante, mas se as gravadoras ficam com medo da pirataria o investimento em uma banda será menor, pois a gravadora não quer correr riscos. Acho que é o momento do fã da banda ter uma posição ativa, se realmente gostou do novo álbum de sua banda favorita ele não deve se contentar com o mp3, ele precisa comprar o álbum, pois é evidente que as bandas precisam disto para seguir em frente e ter condições de continuar gravando novos álbuns!
NHZ: Esta parte da entrevista funciona da seguinte forma: cito-lhe algumas bandas e queria sua opinião sobre cada uma delas: MR. BIG, DR. SIN, EXTREME e RUSH.
ALEX: MR. BIG - Musicos top de linha de conseguiram fazer excelentes e empolgantes canções (nem sempre isso acontece). Alem disso tinham o melhor timbre de voz que já apareceu na terra, Eric Martin.
DR.SIN - Também músicos top de linha, mas que não conseguiram ainda (na minha opinião) fazer canções a altura. Destaco os solos de guitarra do Edu Ardanuy, entre os 5 melhores e mais criativos do mundo.
EXTREME - Destaque total para o guitarrista Nuno Bitencourt. Não curto muito o vocal, era uma boa banda HARD ROCK e conseguiram criaram alguns super hits.
RUSH - Coloco o RUSH na sessão dos criadores, dos deuses, próximos de LED ZEPPELIN, PINK FLOYD, DEEP PURPLE... Bandas que "realmente" criaram estilos. Tem mais de 20 ou 30 musicas nas minhas top 100. Com certeza é uma inspiração e influencia para o SANTAREM. NHZ: Obrigado pela entrevista, deixem uma mensagem para os leitores deste zine.
ALEX: Valeu galera! Esperamos encontrar vocês em um show do SANTAREM. Deixo novamente a mensagem da importância do fã nos dias de hoje. Hoje as bandas não precisam de mega-gravadoras para decolar e nem o ouvinte precisa de uma opinião alheia. Hoje podemos ouvir um mp3 na internet e não importa se é de uma banda da gravadora Sony ou Warner ou se é uma banda completamente independente. O que importa é o ouvido do ouvinte! É isso ai. Grande abraço. Alex Andreoni (guitarrista do SANTAREM)

ESQUERDA PARA DIREITA: AGENOR, GUILHERME, ALEX E THIAGO



SANTAREM – SANTAREM
DIE HARD – NAC


Começando da bela capa e da embalagem em DIGIPACK, alem de ser do “CAST” da DIE HARD, que ao invés de ter uma enxurrada de bandas, lança poucas, mas TODAS de grande qualidade!Tais expectativas são confirmadas com os primeiros acordes de No Ever Higher, além da semi-acústica When the Sky Cries, destacando os vocais de Guilherme Mistretta e a guitarra de Alex Andreoni, além da mescla de HARD ROCK/POP/PROGRESSIVO que agrada muito!Uma grande estréia que mostrava uma banda promissora e que era só o início de mais um grande nome do UNDERGROUND nacional!


SANTAREM - DOWNTOWN STATION

MEGAHARD - NAC

Seguindo a fórmula vencedora de seu EP, a banda aperfeiçoa seu som e nos apresenta um grande trabalho, começando da bela capa, que foge dos padrões atuais.
Falando das músicas, o que já era bom, ficou ainda melhor, destacando mais uma vez o guitarrista Alex Andreoni e o vocalista Guilherme Mistretta, que com o seu timbre suave, arrasa nas rápidas How Much Will be Enough e The Other Side, embora os maiores destaques sejam Crane Bills Garden, Mainland e o “épico” The Man of The Street, com seus dez minutos.
Taí uma banda que todo mundo que gosta de ROCK/METAL deveria conhecer!

FOTO: DIVULGAÇÃO

ENTREVISTA E RESENHAS: JOÃO MESSIAS

Nenhum comentário: