10 de dezembro de 2014

DEVACHAN: “TER ESSA BANDA COM MEUS FILHOS É UM PRAZER INDESCRITÍVEL”

A história da banda de heavy metal Devachan tem início antes de sua fundação, em 2010, por meio do baixista Daniel Dias, que três décadas antes havia escrito algumas letras, sem intenção de musicá-las.

Mas 30 anos depois, aquelas linhas escritas se transformaram em música, representadas no EP Andarilho, lançado em 2013. O mais interessante disso tudo é que acompanham o músico nessa empreitada seus filhos, Gabriel Dias (voz) e Leandro Dias (guitarra), além de Bruno Caresia (bateria) e Michael Santos Veríssimo (teclado).

Na entrevista, Daniel e Gabriel nos conta um pouco de como é estarem juntos com um projeto musical, a repercussão do trabalho e uma homenagem recebida pela prefeitura de Boituva.

Por João Messias Jr.

Devachan
Divulgação
NEW HORIZONS ZINE: A história da banda é algo fascinante para um jornalista ou escritor, pois apesar de montada em 2010, tudo começou bem antes, há mais de 30 anos, com o baixista da banda, Daniel Dias. Como foi na época ter de engavetar as ideias e retomá-las três décadas mais tarde?
Daniel Dias: Na verdade estas composições são apenas sentimentos que passavam em minha mente. Eu só conseguia expressá-los através da escrita. Não tinha a pretensão de “desengaveta-las”, pois para mim era apenas minha mente sendo materializada no papel, apenas um registro. Mas quando meus filhos Leandro e Gabriel chegaram com a proposta de gravar estas músicas, as ideias afloraram dentro novamente, como há 30 anos atrás. Ai foi só ligar os pontos. 
 
NHZ: O mais interessante é que o projeto foi retomado de forma não usual, pois você remontou a banda com seus filhos, Leandro e Gabriel. Como aconteceu essa aproximação musical entre pais e filhos?
Daniel: Temos esta aproximação antes mesmo deles nascerem. Costumava tocar as músicas da EP/Demo “Andarilho” em formato MPB, Country, Blues, quando ainda estavam na barriga da mãe, só no violão. Conforme foram crescendo, eles adoravam cantar e tocar as músicas, sentávamos na sala e ficávamos horas e horas criando e compondo novas melodias.

NHZ: Antes de irmos para o lance musical, conte-nos como é ter uma banda com seus filhos? Pergunto isso, pois muitas vezes deve ser mais complicado ser mais direto com um familiar do que com um amigo.
Daniel: Ter essa banda com meus filhos é um prazer indescritível. Nunca tivemos este problema, sempre deixamos bem claro em nossa família a sinceridade, não enraizamos nada. E levamos isso para a banda, todos os integrantes são bem abertos um com o outro, até por isso acho que as composições e harmonias saem tão naturalmente.  

Andarilho
Divulgação
NHZ: Depois de formado (ou reformado) o grupo, como foi arranjar essas letras e músicas? Houve muitas modificações em relação ao que estava feito nos anos 80?
Gabriel Dias: Foi uma experiência fascinante, pois chegamos (Eu, Daniel Dias e Leandro Dias) com o esboço das músicas para os demais membros da banda e tudo saiu muito naturalmente. Houve muita mudança do que era para o que vemos hoje, as músicas eram arranjadas apenas no violão e percussão no máximo, na época não se facilitavam muito os recursos. 

NHZ: Esse time lançou em 2013 o EP “Andarilho”, que obteve ótimas respostas da crítica especializada devida a sua sonoridade, que resgata o metal tradicional português praticado nos anos 80, mas com letras mais poéticas, como podemos ouvir em “Mente em Sonhos”. Esse toque mais rebuscado nesse e no som da banda foi algo pensado ou apareceu naturalmente?
Gabriel: Saiu naturalmente. Apenas mesclamos os gostos e influencias dos músicos da banda e tivemos como resultado a EP “Andarilho”.

NHZ: Outro belo momento do trabalho fica por conta das baladas “Poetas” e “Liberdade”, que são baladas e exploram novos contornos. Como foi desenvolver esse formato de canção mais intimista e mesmo assim deixa-las com o feeling do heavy metal?
Daniel: Engraçado, pois estas músicas, harmonicamente falando, acabaram ficando com um formato muito parecido com o que já era há 30 anos atrás. Só acrescentamos os instrumentos que faltavam, eu já possuía este mesmo feeling naquela época, não foi difícil incorporar. 

NHZ: Vi que a banda pretende lançar o primeiro álbum ‘full’ em 2015. O que os fãs podem esperar desse vindouro trabalho na sua sonoridade e conceito lírico?
Gabriel: Podemos adiantar que as músicas irão mostrar uma nova face da Devachan. Estamos com muito mais maturidade que na época do “Andarilho” e sabemos atualmente qual caminho percorrer. Não podemos divulgar ainda, mas estarão pessoas de peso do mercado nacional e internacional trabalhando conosco nesse novo trabalho. Aguardem novidades de arrepiar.

Devachan
Divulgação
NHZ: Mudando um pouco de ares, recentemente foi lançado o DVD “Super Peso Brasil”, que conta com shows ao vivo das bandas Stress, Salário Mínimo, Centúrias, Taurus e Metalmorphose, que de certa forma coroa os primeiros tempos do estilo no país. O que deixa tudo mais especial é que esse trabalho foi concebido por financiamento coletivo. Como vê esse tipo de lançamento hoje e se a tradicional “vaquinha” é o futuro da música independente?
Daniel: Muito boa a iniciativa! São bandas que me incentivaram muito a entrar neste “Mundo Metal”. Acho muito valido este tipo de lançamento, pois isso mostra a união que devemos ter no heavy metal nacional, coisa que muitas vezes não acontece. Mas não acredito que este seja o único futuro da música independente, sempre haverá pessoas que acreditam e sempre acreditarão na cena. 

NHZ: Para encerrar, conte-nos da homenagem que o grupo recebeu da prefeitura da terra natal do grupo, Boituva. Que tipo de honra a banda teve e qual a sensação de receber esse tipo de incentivo?
Gabriel: Na verdade somos de Iperó, cidade próxima a Boituva, até por isso acho que ficamos tão espantados e ao mesmo tempo honrados com tal homenagem expressando o quanto somos importes culturalmente para a região. Ficamos muito contentes mesmo, e só serviu para nos motivar mais e mais.

NHZ: Obrigado pela entrevista. Deixe uma mensagem aos leitores desta publicação.
Daniel: Queremos agradecer o carinho e o apoio de todos que acompanham nosso trabalho desde o início. Um grande abraço a todos os leitores do New Horizons Zine, vocês são o “combustível” que precisamos para continuarmos sempre em frente. Obrigado!

Nenhum comentário: