28 de setembro de 2015

IMMINENT ATTACK: UM NOVO CLÁSSICO DO CROSSOVER

Novo trabalho do quinteto paulista vem recheado de músicas pesadas, vocais hilários, além de feito para bangear

Por João Messias Jr.

Desde a sua criação (ou descoberta?), lá na década de 1980, o crossover brindou nossos ouvidos e prateleiras com bandas sensacionais como Cro-Mags, Suicidal Tendencias, Nuclear Assault, D.R.I, S.O.D. e Ratos de Porão. Passadas mais de três décadas, vira e mexe temos nomes que mantém o legado vivo, tais como o nosso Bandanos e o Imminent Attack, que nesse ano lançou seu segundo full, chamado de Welcome to my Funeral.

Se no primeiro trabalho, os mamutes (como são conhecidos) já haviam chamado a atenção, aqui os caras saem do status de promessa a realidade, pois a experiência de mais de um década de estrada fizeram que (quase) todos os excessos fossem aparados e com isso temos um disco que tem tudo para cair no gosto dos fãs de música pesada.

E por que digo isso? Pois a mamutada formada por Dinho Guimarães (voz), Erick Veles (guitarra), Rafael Augusto Lopes (guitarra), Ivan Skully (baixo) e André Luis bateria capricharam nas canções, que tem base a energia, capitaneada por uma produção de primeira (a cargo do próprio Rafael), que deixou tudo equilibrado e pesado.

Características que fazem a música brilhe por si própria, como nas pancadarias de Rush of Violence e a Work, Buy, Die. Porém o trabalho apresenta outras facetas marcantes, como os vocais irreverentes de Dinho, que vão numa escola Nuclear Assault/D.R.I, que dão um molho especial nas músicas, fugindo dos berros e urros de hoje.

Ainda tem mais...o flerte com o punk rock deixa canções como Kill Or Be Killed e The Meaning of Life irresistíveis, assim como os duetos de guitarras de G.U.N. e (Generic Useless Nation) e Coward Liar, ambos no melhor estilo Anthrax dos primórdios.

Também vale ser citado o design do trabalho. Embalado em paper sleeve, o trabalho é muito bonito, além dos desenhos da capa/encarte feitos de forma clara, méritos de Carlos Cananea (Paralelo Grano Studio), cuja contribuição fará com que Welcome to My Funeral figure na lista de melhores do ano de muita gente.

E não seria nenhuma heresia dizer que o trabalho tem como daqui trinta anos ser reverenciado como um clássico do crossover!

Nenhum comentário: