9 de maio de 2012

NECROMESIS: DO ABC PAULISTA PARA O NORDESTE


Trio do ABC paulista comemora ascensão de sua carreira com shows no Nordeste e participação no Grito Rock

Por João Messias THE ROCKER

Necromesis
Imagem extraída do Facebook
Formada em 2006 e tendo atualmente em sua formação Victor Prospero [Baixo/Vocal], Daniel Curtolo [Guitarra/Vocal] e Gil Oliveira [Bateria], o Necromesis é uma das bandas que vem mais se destacando no ABC paulista.
E esse destaque é devido a sua sonoridade apresentar à vertente mais técnica do Death Metal, mas inserindo muitos elementos da música brasileira, que atingiu o auge no seu segundo EP, chamado Evolving To An Underworld.
O baixista e vocalista Victor nos conta sobre ser um dos maiores nomes da cena do ABC paulista hoje, a primeira tour que fizeram na região Nordeste e as lições aprendidas.
Confiram a entrevista:
NEW HORIZONS ZINE: A região do ABC teve grandes nomes como MX, Necromancia, Garotos Podres, entre outros, mas que apesar de sempre ter produzido bandas de qualidade, nunca teve um nome de relevância nacional. E vocês são uma das bandas daqui que estão quebrando essa barreira, sendo hoje um dos nomes mais promissores do região. Como é mostrar ao Brasil e o mundo essa nova força da região?
Victor Próspero: É sempre um privilégio poder mostrar a nossa música quebrando as fronteiras de nossa região!
Privilégio maior é perceber que muitas das pessoas para as quais mostramos o nosso trabalho realmente gostam e mantém contato conosco perguntando quando lançaremos material novo ou até mesmo quando voltaremos a tocar em suas cidades.
Isso é muito gratificante e acredito que seja o retorno por todo o trabalho duro que temos compondo, ensaiando e amadurecendo as nossas idéias.

NHZ: E ainda falando em ABC, entre 2011 e 2012 vocês participaram de  três grandes eventos na região, a abertura para o Besatt, o fest que contou com Necromancia e Ação Direta e o mais recente, o Grito Rock, em São Caetano, com Bywar, Justabeli e Setfire. O que achou destes eventos. Qual a importância para as bandas e público estes shows?
Victor: Eventos como estes são muito importantes para manter acesa a chama do Metal no ABC. Posso destacar este fest que você citou no paço municipal de São Bernardo do Campo com apoio da prefeitura da cidade, que foi super bem organizado, respeitando tanto as bandas quanto ao público.
Foi um show de graça com bandas de qualidade e qualidade de áudio excelente. O Grito Rock também citado por você teve o mesmo espírito. Poder participar de eventos como estes é sempre uma honra.
Necromesis
Imagem extraída do Facebook

NHZ: Recentemente lançaram o Ep Evolving To An Underworld tanto em formato físico como digital. O que os levaram a lançar nesses dois formatos e como está a sua aceitação até o momento?
Victor: Nós somos uma banda independente que está em busca de divulgar ao máximo o nosso trabalho. A melhor forma de se fazer isso é disponibilizando nossas músicas na internet para que as pessoas possam baixar de graça em nosso site.
No entanto, sabemos que assim como eu, muita gente prefere guardar o material físico das bandas que curte. Para isso lançamos o nosso EP fisicamente por um preço bastante acessível já que o nosso objetivo é apenas divulgar o nosso trabalho, não é obter grandes lucros com isso.
As pessoas e alguns veículos de imprensa têm aceitado bem este EP, principalmente por termos incorporado elementos de ritmos fora do Metal em nossa musica. É algo que  estávamos pensando em fazer, pois todos nós da banda curtimos muita coisa além do bom e velho Metal (risos)!

NHZ: Vocês retornaram de uma tour no Nordeste, por onde contemplaram diversos estados. Como foram os shows e quais as maiores lições aprendidas com essa tour?
Victor: No Nordeste, a primeira coisa que me surpreendeu é que a galera realmente prefere as vertentes mais pesadas do Metal, o que nos ajudou bastante (risos). A segunda coisa que me impressionou foi o respeito das pessoas para com as bandas. ...por menor que fosse o lugar onde iríamos tocar, sempre tinha um camarim, uma galera comprando nosso merchandise e uma atenção especial para a qualidade de som.
O público também é bem diferente, pois vão ao lugar para assistir ao show curtindo o som... não é como aqui que as pessoas ficam reparando nas notas que você toca e se você errou ou não (risos). Ficamos mais de 20 dias convivendo juntos com o único objetivo de tocar. ...é uma experiência que toda banda precisa passar, pois vai muito além da tradicional rotina dos ensaios semanais.

NHZ: E essa tour foi realizada graças a amizade com o pessoal da banda pernambucana Cangaço. E assim,  vocês fizeram um intercâmbio, onde o Cangaço veio para alguns shows e depois vocês foram para lá.Como surgiu a amizade essa idéia?
Victor: Tudo começou quando o Gil (baterista do Necromesis) foi em São Paulo assistir ao show em que o Cangaço ganhou a seletiva nacional para o Wacken Metal Battle.
Ele veio nos contando o quanto ele tinha curtido a banda e o quanto ele achou que eles tinham a ver conosco (buscam atingir uma sonoridade própria, são um trio onde o guitarrista e o baixista cantam, fazem som pesado, etc). Rapidamente teve a ideia de chamá-los para uma pequena turnê aqui pelo estado de SP promovida por nós.
Em troca, nós iríamos para o Nordeste em uma pequena tour promovida por eles (mais tarde receberíamos a noticia de que fomos selecionados para tocar no palco do rock em Salvador). Todo o plano deu certo e pretendemos fazer isto mais vezes, pois além de toda afinidade musical, os caras do Cangaço se tornaram grandes amigos.

NHZ: E depois dessa tour nordestina, pensam retornar no futuro?
Victor: Além de retornar ao Nordeste, temos a intenção de alcançar outras regiões do Brasil para conhecer diferentes ambientes. Assim que tivermos algo concreto divulgaremos em nosso site e nas redes sociais (facebook, orkut, etc).

NHZ: Muito obrigado pela entrevista! Deixe uma mensagem aos leitores do NEW HORIZONS ZINE!
Victor: Existem bandas excelentes não só no ABC, mas em todo o estado de SP e no Brasil que ainda são desconhecidas, mas sempre estão batalhando no underground. Pode parecer um clichê, mas eu sempre apelo às pessoas que apoiem o Metal nacional.
Que não compareçam aos shows apenas para ver aquele amigo tocar ou para encher a lata e ir atrás de mulheres!
Fiquem, assistam aos shows que as bandas prepararam e tirem suas conclusões. ...tudo o que elas precisam é serem vistas.

Nenhum comentário: