16 de março de 2013

LANDWORK: RESGATE AOS ANOS 70 E 90

Álbum do quarteto, The Stand tem como ingredientes riffs pesados e ritmo cadenciado do baixo e bateria

Por João Messias Jr.

The Stand
Divulgação
Os anos 90 ficaram marcados pelas mudanças de rumos na música pesada. Se na década de 80, os riffs harmônicos, trabalhados e bumbos velozes eram a bola da vez, após uma década deram lugar a um instrumental mais direto, muito peso, e a velocidade usada apenas quando necessário. 

Parte dessa "novidade" era o resgate de bandas setentistas como Black SabbathGrupos como Sacred Reich, Anthrax e Entombed são alguns exemplos dessa transição musical.

Embora não seja adepto do thrash/death metal, o Landwork tem como inspiração as décadas de 70 e 90, e apesar disso, a música praticada pelo quarteto não soa retrô, pelo contrário ela é fresca e jovial.

Formado por Rian Rau (voz), Jhony Israel (guitarra), Abel Dias (baixo) e Thiago Chocolate (bateria) desenvolveram sua sonoridade unindo bases pesadas (alguém pensou Tony Iommi?), arranjos pegajosos e uma cozinha que é um estrondo, reúne em seu álbum, The Stand músicas fortes que além de fazerem agitar, consegue nos deixar pra cima, como Blood (a melhor), The Fight, No Control, The Stand, Screaming Again e Look to the Sky, as duas últimas em especial se destacam pelos solos bem encaixados.

Outra forte influência sentida no som da banda é o Bride, da fase Drop, grupo marcado por não ter medo de fazer mudanças no som.

Uma excelente resposta para as pessoas que ficam dizendo por aí que os anos 90 foram perdidos para o rock, o que é um engano.

Para ouvir, balançar cabelos e pescoço, mas tomem cuidado, pois como diz um apresentador esportivo: “Isso vicia”.
www.landworkband.com 

Nenhum comentário: