22 de janeiro de 2014

TROPA DE SHOCK: COMEMORANDO 25 ANOS COM MUITO HEAVY METAL

Com simpatia e musicalidade, quinteto paulista celebra Jubileu de Prata, mostrando que o melhor de sua carreira está por vir

Texto e fotos: João Messias Jr.

Tropa de Shock
João Messias Jr.
Quantas bandas chegam aos seus 25 anos de carreira com uma carreira constante e regular de lançamentos e shows pela região? Dá para contar nos dedos, certo? Pois bem, o quinteto paulista Tropa de Shock é uma dos grupos que podem se vangloriar por chegar a essa importante marca com vitalidade e todo o gás necessário para fazer quem sabe mais 25 anos. Para comemorar a data, o evento teve como convidadas as bandas Subversilvas e o guitarrista Sergio Murilo, que foi o primeiro guitarrista da Tropa.

E a celebração foi comemorada no último sábado (17), no Dynamite Pub, localizado no Bixiga, centro de Sampa,antigo Carbono 14 se mostra um excelente local para shows, com um bom espaço e aquele jeitão underground que todo espaço deve ter.


Sergio Murilo
João Messias Jr.
A festa teve início às 0h40, com a casa quase vazia (panorama que infelizmente não mudou até o fim do evento) o guitarrista Sergio Murilo, que apresentou clássicos do rock, mas de uma forma diferente, pois o músico faz algo interessante e inusitado que é transformar as partes vocais em frases de guitarra. 

Com muito entusiasmo e vontade de tocar seu instrumento (algo que está em falta hoje), esquentou os presentes com versões para clássicos do metal como Rainbow in the Dark (Dio), Mr. Crowley (Ozzy Osbourne) e The Trooper (Iron Maiden). Vale citar que neste som, o guitarrista desceu do palco e compartilhou o momento com o público.

Subversilvas
João Messias Jr.
Já eram 1h30 da madruga quando o Subversilvas entrou no palco. O trio, formado por Jesus (baixo e voz), Harold (guitarra) e Fellipe (bateria) fazem um crossover de influências diversas, que vão do crust, sludge e metal, mas com letras que beiram o punk/hardcore, que procuram conscientizar as pessoas.

A apresentação foi direta, sem muitas cerimônia, com direito a sons de seu EP como Lutar, Miséria e U.S.A. 

O show teve também a música nova, chamada Abate, que tem como tema a exposição da mulher na sociedade, que é vista como um pedaço de carne e um cover para Sick With Society da banda punk/crust Doom.

Tropa de Shock
João Messias Jr.
Mas ainda havia a Tropa de Shock. Então, ás 2h20 Don (voz), Augusto Abade (guitarra), Lucas Pelarin (guitarra), Lucas Tomé (baixo) e Marcio Minetto (bateria), que após a intro, mandaram You’re a Liar, do mais recente trabalho do quinteto, Immortal Rage, que mostra um metal tradicional direto e com um bom trabalho de guitarras, como pede o estilo.

A banda é muito carismática ao vivo, principalmente Don, que além de um excelente cantor, é muito humilde e está sempre interagindo com o público e nessa vibe mandaram Sign of Life, também do mais recente registro. Assim como o vocalista, todos mandam muito bem nas suas funções e nem parecia que era o primeiro show com “os Lucas”, que mostraram segurança, como na instrumental Transylvania (Iron Maiden).

O show teve ainda sons como Somewhere in Your Life e A Ray of Light, que infelizmente deu números finais ao evento.

Poderia terminar essa resenha dizendo que voltei feliz para casa após mais uma noite de metal, mas infelizmente há algo que ainda precisa ser dito: aonde estavam os ditos headbangers que dizem nas redes sociais que acreditam e apoiam a cena nacional e tal? Provavelmente em algum boteco enchendo a lata e assistindo algum show de banda cover.

Lastimável!

Nenhum comentário: