16 de novembro de 2008

MY HONOUR : AMY GRANT


Amy Grant foi uma das primeiras cantoras GOSPEL (evangélico) a conquistar os SECULARES (não cristãos), que se iniciou com o dueto com Peter Cetera em Next Time my Fall, e com isso acabou despertando o interesse das pessoas.
Bonita e talentosa, Amy “EXPLODIU” com o álbum Heart In Motion, e com isso ganhou muitos fãs, como o baixista Tim Gaines (êx-STRYPER).
Essa explosão terminou com o álbum Behind the Eyes, que também marcou o fim de seu casamento com o também cantor gospel Gary Chapman.
Atualmente casada com o cantor COUNTRY Vince Gill, Amy continua firme na sua carreira, lançando álbuns, que infelizmente permanecem inéditos no Brasil.
Seguem comentários de alguns de seus álbuns:


STRAIGHT AHEAD (1984)

Dona de uma voz doce e angelical, Amy conquista logo de cara com músicas simples, mas muito bem construídas como Where do You Hide Your Heart, Jehovah, Angels, It’s not a Song, Open Arms e Tomorrow.
Além de cantar, Amy também assinava boa parte das composições, em parceria com Gary Chapman e Michael W. Smith (outro fenômeno da música gospel, que na época era músico de apoio da banda de Amy). Esse álbum marca o início de uma ascensão que viria anos mais tarde.



UNGUARDED (1985)

Amy já era um grande fenômeno na música gospel, e aqui nota-se uma expansão musical, com maior influência de ROCK e refrãos que grudam.
Uma combinação de guitarras espertas, instrumental melhor elaborado e Amy cantando muito (já deixando de ter aquela voz de menininha), e com tudo isso junto, não tem como dar errado, e o negócio é se deliciar com sons como Love of Another Kind, Find a Way, Stapping in Your Shoes, Wise Up e Sharayah.



HEART IN MOTION (1991)



Um passo decisivo foi levar sua música á outras pessoas (no caso os seculares), e contando com um grande suporte e talento, e a tarefa foi conquistada com êxito.
Os vídeos de Baby Baby e That’s What Love is For foram exaustivamente tocados nos programas musicais daqui, num disco quase perfeito com ótimas canções como Good for Me, Every Heartbeat, Ask Me, Galileo, You’re Not Alone(um quase AOR), Hats e Hope Set High.
Esse álbum inicia o auge criativo de Amy que explodiria de vez nos dois álbuns a seguir.



HOUSE OF LOVE (1994)


Este trabalho segue a linha de Heart in Motion, só que com mais guitarras e influências COUNTRY que contagia do início ao fim, sendo este seu álbum mais criativo, que contagia do início ao fim.
Nem precisa dizer que Amy está cantando muito, e com uma gravação espetacular (treze anos após seu lançamento, sua qualidade é melhor do que muita coisa produzida atualmente) só nos resta ouvir e se contagiar com as músicas.
Say You’ll be Mine, Helping Hand, Politics of kissing são músicas que te deixam “PRA CIMA”, Children of the World e Oh How the Years Go By te emocionam num album excelente, que ainda tem a excelente versão para Big Yellow Táxi, de Joni Mitchell.





BEHIND THE EYES (1997)


Melancolia e maturidade marcam esse, que é seu melhor trabalho, onde praticamente abandona o ROCK e mergulha no COUNTRY.
Por estar passando momentos difíceis (o fim do seu casamento) esse álbum possui uma atmosfera densa quase acústica é de impressionar e admirar, onde temos músicas matadoras como a “QUADRA” Nobody Home, I’ll be a Friend, Like I Love You, Takes a little Time (muito tocada por aqui), e também Leave it all Behind e o belo encerramento com Somewhere down the Road.
Um álbum emocionante que mostra outra faceta de Amy, num álbum bem diferente dos comentados acima.




LEGACY... HYMMS & FAITH (2002)


Já com os problemas superados, Amy retoma a carreira com este álbum que na verdade é uma regravação de antigos hinos evangélicos, que é uma faca de dois gumes, quando acerta, temos músicas excelentes, mas quando erra...
O álbum começa bem com this is My Father’s World, My Jesus I Love Thee, até atingir seu auge com a belíssima Imagine, mas que depois perde o pique, num álbum que é ainda mais influenciado pelo COUNTRY.
Bom, essa é a minha humilde homenagem á esta cantora que é uma das maiores responsáveis da minha amplitude musical e fico na torcida para que seus álbuns voltem a serem lançados aqui no Brasil.

TODOS OS SEUS TRABALHOS FORAM LANÇADOS NO BRASIL PELA BOMPASTOR
TEXTO E RESENHAS: JOÃO MESSIAS “THE ROCKER”

Nenhum comentário: