4 de setembro de 2013

EXCITER: "GOSTO DE TOCAR PARA OS NOSSOS FÃS EM TODAS AS PARTES DO MUNDO"

Confesso que quando recebi a oportunidade de fazer uma entrevista com esse ícone do metal canadense, as pernas bambearam. Dúvidas pairavam na mente sobre o que perguntar. Depois de pensar bastante, optei por algo que talvez desagrade os mais puristas, mas que creio que foi a decisão mais sensata. 

Sem mexer nas feridas do passado, as perguntas foram baseadas no momento atual da banda, que hoje conta com Clammy (baixo), Rick Charron (bateria), Kenny "Metal Mouth" Winter (voz) e o guitarrista e único membro da formação clássica, John Ricci, que de forma apaixonada respondeu as minhas humildes questões.

Confiram:

Texto: João Messias Jr.
Tradução: Tiago Claro

Exciter
Divulgação
NEW HORIZONS ZINE: A banda retorna ao país para mais uma série de apresentações em São Paulo (Hangar 110) e São Bernardo (Princípios Bar). Quais as expectativas para os shows e o que esperam do público brasileiro?
John Ricci: Esta será nossa terceira vez no Brasil com este line-up do Exciter. Nós sempre tivemos um forte apoio do público na América do Sul. Os fãs brasileiros são ainda mais loucos do que os europeus. Eu diria que no Brasil e Japão, os fãs são mais selvagens e cantam mais alto do que qualquer outro público! Desta vez, esperamos o mesmo sobre essa reação. No ano passado, tocamos no Metal Open Air em São Luis e na manhã seguinte, fomos destaque na primeira página do jornal local e isso foi muito legal! Com certeza, será tão emocionante como da última vez!

NHZ: Há algum tempo a banda possui uma formação estável com o guitarrista John Ricci, o baixista Clammy, o baterista Rick Charron e o vocalista Kenny Winter. Como é o convívio da banda e o que pensam ser a motivação de estarem juntos compondo músicas, gravando discos e fazendo tours.
John: Primeiro de tudo, eu escrevo todas as músicas. A motivação é sempre fazer as melhores músicas que eu puder. Para mim, é uma aventura escrever a música que eu gosto de tocar e que os fãs apreciam. Felizmente eu tenho sido capaz de sustentar esta fórmula com os músicos que tocaram comigo ao longo dos anos. Como você sabe a formação original começou tudo com a nossa marca única de metal. O atual line-up ainda rende elogios assim como a banda original que começamos. Mas desta vez eu tenho 100% de controle da direção da banda e eu acho que a partir de 1996, o Exciter tem escrito algumas músicas muito fortes que, tanto foram considerados novos clássicos da banda. Gravação é importante, mas o Exciter sempre foi uma banda de turnê e eu gosto de tocar para os nossos fãs em todas as partes do mundo.

NHZ: Falando em Kenny, pode se dizer que ele teve uma missão difícil, pois substituiu vocalistas consagrados como Dan Beehler e Jacques Belanger. Mas após dois discos gravados, podemos dizer que ele conquistou seu espaço junto aos fãs. Para vocês, quais as maiores virtudes de Kenny em relação aos cantores antigos?
John: Quando Kenny fez o teste para a banda, eu queria ter certeza de que ele pudesse gritar. Afinal é isso que o estilo vocal do Exciter possui,  vozes gritadas . Jacques era muito bom, mas numa linha mais melódica, já Kenny está mais próximo ao estilo de Dan Beehler. Normalmente eu escrevo todas as melodias vocais e que se adequam a voz do cantor, com exceção de Dan Beehler que escrevia suas próprias melodias. Penso que os fãs curtem Kenny, porque ele realmente se conecta com o público.

Exciter
Divulgação
NHZ: Interessante citar que com o passar dos anos a banda sempre manteve suas características, sem acompanhar tendências e modismos. Para vocês, qual a importância de uma banda manter sua identidade?
John: Fincar suas raízes musicais é muito importante. Um monte de bandas desvia-se do estilo que as tornaram populares. Não é assim com o Exciter, tocamos a mesma música com paixão, como fazíamos em 1983. É importante que uma banda tenha uma identidade forte, então os fãs podem reconhecer facilmente a sua música e isso sempre foi a filosofia do Exciter.

NHZ: Falando em tendências, o que acham das bandas de metalcore e metal extremo?
John: Eu gosto de metalcore e metal extremo. Não importa o tipo de metal , pois a  música é uma forma de arte  e expressão. Eu acho que muitas dessas bandas foram influenciadas pelo início dos anos 80, quando todo o movimento thrash começou. O metalcore e o metal extremo pegaram o som oitentista e o tornou mais pesado e mais rápido. Isso é uma coisa boa!
NHZ: Essa questão é mais realista. Muitos fãs ao olharem os álbuns e tempo de carreira da banda tem na cabeça que os músicos vivem como rockstars e coisas do tipo. Vocês conseguem viver apenas da banda ou possuem atividades paralelas?
John: Nós não vivemos como rockstars. Todos os membros da banda Exciter têm empregos regulares. Sim, temos outros hobbies, mas não são relacionados a música. Mesmo depois de 30 anos de Exciter o grande momento nunca aconteceu. Nós temos um nome ao redor do mundo, mas nunca tivemos grande sucesso como tantas outras bandas de thrash que começaram ao mesmo tempo que nós  como Megadeth, Metallica e Anthrax, etc. Mas isso está OK para mim. Eu apenas agradeço a todos nossos fãs ao redor do mundo pelo apoio ao Exciter.

Death Machine
Divulgação
NHZ: O último trabalho da banda foi o álbum Death Machine. Quais os planos para um novo disco de inéditas?
John: Ainda estou no processo de criação das músicas. Eu tento escrever músicas pesadas e não fazemos canções para serem "enchimento" no álbum, então pode ser uma tarefa desafiadora. Às vezes, as canções não se encaixam e os arranjos são fracos, então eu jogo fora a música e começo tudo de novo. Por isso que demora tanto tempo para escrever um álbum de material forte.

NHZ: Obrigado pela entrevista. Deixem uma mensagem aos fãs brasileiros.
John: Estou realmente ansioso para conhecer e encontrar os nossos fãs do Brasil. Vocês são um dos melhores públicos do mundo e será uma honra para apresentar o nosso speed metal para vocês! Saudações para todos os headbangers do Brasil!

Obs.: Enquanto vocês estiverem lendo essas linhas, nesta quinta-feira (5), a banda fará uma noite de autógrafos na região do ABC. O evento acontece a partir das 19h, no Vol. 4 Rock Bar, que fica na Rua Maranguape, 3, Vila Curuçá. Se for fã da banda ou de metal em geral, apareça!

Nenhum comentário: