24 de setembro de 2013

SONIC SYNDICATE: UMA DAQUELAS HISTÓRIAS QUE SÓ O MUNDO DA MÚSICA CONTA PRA GENTE

"Audição do quarto disco da banda sueca Sonic Syndicate instiga o ouvinte a saber porque o sexteto não está entre os grandes nomes da música atual"

Por João Messias Jr.

We Rule the Night
Divulgação
Sim, isso mesmo. O quarto disco da banda Sonic Syndicate, We Rule the Night, de 2010, tinha tudo, mas tudo mesmo para figurar ao lado de grupos como Avenged Sevenfold. 

A banda formada na época por Nathan J. Biggs (voz), Richard Sjunnesson (voz), Karin Axelsson (baixo), Robin e Roger Sjunnesson (guitarras) e John Bengtsson (bateria) cometeu a loucura de romper alguns padrões musicais e botou no mesmo caldeirão new metal, metalcore, hard rock,  pop e um pouquinho de In Flames.

Passados três anos, essa mistura poderia soar normal e inofensiva, mas após um bom tempo sem escutá-lo, pude perceber que o mesmo passou no teste do tempo. As canções continuam fortes quando necessário e acessíveis quando preciso. A interpretação de Nathan nas vozes limpas e Richard nas agressivas dão o balanço que a música do grupo precisa. As qualidades não ficam restritas aos cantores, pois aqui temos tudo na perfeita ordem: solos bem dosados, bateria constante e claro, clássicos do estilo.

O massacre começa com Beauty and the Freak. Mas a energia emana com Revolution Baby, com uma linha contagiante e um show de Nathan. A canção poderia figurar tranquilamente como trilha de lutas marciais, pois além de elevar o astral é perfeita para a prática. Já os efeitos eletrônicos de Turn It Up desagradarão os radicais, mas como só existem dois tipos de música, a boa e a ruim e a canção citada está longe de ser execrada...

... Voltando, My Own Life é a balada do disco e tem uma linha de fácil assimilação e (ainda) tem tudo para figurar em qualquer programa mainstream de videos. Miles Apart é melancólica e possui um refrão daqueles de cantar junto. Apesar da audição ser agradável até o fim, ele perde um pouco de sua força, apesar de faixas como Plans for the People possuir andamentos interessantes, que beiram o technopop dos anos 80,

Apesar dessa pequena queda de rendimento, tinha tudo para elevar o nome da banda, que pelo menos por aqui, infelizmente não rolou. Curiosamente após esse trabalho a banda sofreu com mudança de integrantes e outros problemas, que a impediram de continuar seu legado. A notícia mais recente é de maio deste ano, é que por meio de um vídeo no site do grupo,  entende-se que possuem planos de gravar um novo disco.

Infelizmente não costuma haver justiça no mundo da música, mas quem sabe um novo disco recoloca as coisas nos eixos. Pois é uma pena que We Rule the Night não tenha conseguido.

Vamos torcer!
www.sonicsyndicate.com 

Nenhum comentário: