7 de maio de 2014

PANZER: COMEMORANDO 23 ANOS DE ESTRADA COM A GRAVAÇÃO DO PRIMEIRO DVD

Apresentação realizada no Espaço Som, contou com ótima presença de público e repertório baseado no último trabalho, Honor

Texto: João Messias Jr.
Fotos: João Messias Jr. e Ana Carla

Panzer
João Messias Jr.
Alegrias, conquistas, tombos, recesso e redenção. Assim podemos definir a trajetória do grupo de thrash/stoner Panzer. Já são 23 anos de luta, uma pausa após dois discos e um retorno digamos, mineirinho, por meio de um single (Rising), um EP (Brazilian Threat) e o novo álbum, Honor, o Panzer agora dá um grande passo gravando seu primeiro DVD, realizado no último sábado do mês de abril (26), no Espaço Som, próximo ao metrô Clínicas, em Sampa, que ultimamente vem sendo uma ótima opção para os grupos se apresentarem de forma digna.

A festa, que contou com cerca de 100 convidados (o evento foi gratuito mediante reserva de lugares) inicialmente previsto para às 19h, teve início 40 minutos depois com Rafinha Moreira (voz), André Pars (guitarra), Rafael DM (baixo) e Edson Graseffi (bateria) iniciaram com Speedy, Affliction e Red Days, do álbum The Strongest, de 2001. Desta trinca, destaque para a segunda, com riffs que (apenas no começo) lembram The Laws of Scourge (Sarcófago) e a terceira, que é um belo pé na porta na cara do ouvinte, todas com aquela pegada thrash, com o stoner aparecendo subliminarmente.

Panzer
João Messias Jr.
Antecedida pela intro The Morning After, The Last Man of Earth foi a primeira de Honor. Essa, além de uma das melhores do mais recente trabalho, define muito bem o que é a banda hoje. Heretic é dona de riffs old school, berros dolorosos e muita agressividade.

Alguns podem pensar que por se tratar de uma gravação, os músicos ficariam mais estáticos e inibidos, mas foi totalmente o contrário que tivemos aqui. O lance estava tão descontraído que em determinado momento, Rafael DM foi à frente do palco e arrancou a caneta deste que escreve essas linhas, recuperada pouco tempo depois.

Em meio ao peso de Intruders, percebe-se o lado stoner da banda mais aflorado, assim como em Victim of Choices. Já Rising, a agressividade retorna com estilo e Savior, assim como em Honor, contou com a participação de Silvano Aguilera (Woslom), num contraste interessante de vozes. Alma Escancarada, pode enganar pelo seu começo quase hardcore, mas a mesma ganha contornos variados.

Panzer e público
Ana Carla
Tudo perfeito certo? Nem tanto. Por ser uma gravação, o público estava muito calmo. Estava. Até que em Rejected, do debut Rising, a primeira roda da noite enfim se abriu e se manteve na saideira N.S.A. também do primeiro disco, com DM indo junto ao povo. Algumas músicas foram repetidas para que tenha bastante material para a edição, o que foi válido, pois as canções tiveram rodas, o que será muito mais bonito para o DVD, que além da apresentação, terá como extras depoimentos de grandes nomes da cena.


Parabéns Panzer e ao público, que teve a oportunidade de participar de uma festa bacana, que felizmente foi sem maquiagens e forçadas de barra!

Nenhum comentário: