5 de maio de 2014

VIOCETY: ENTRANDO COM OS DOIS PÉS NA CORRIDA DA CENA UNDERGROUND

Banda lança seu primeiro trabalho, o EP Instinct em audição que contou com a presença de imprensa e convidados

Texto: João Messias Jr.
Fotos: João Messias Jr. e Island Press
Imagem: Divulgação

Capa do EP Instinct
Divulgação
Com a quantidade e por consequência de bandas e lançamentos, cabe aos grupos usarem medidas e estratégias diferenciadas para apresentarem sua música e para num primeiro momento, angariar público e posteriormente cravar um lugar de respeito na cena underground.

Audições e pocket shows vem sendo a melhor alternativa para as bandas independentes, pois conseguem fazer um show com qualidade para um público que embora pequeno, esta lá única e exclusivamente para conferir o som dos anfitriões.

E na tarde do último sábado do mês de abril (26), a banda Viocety, formada por  Gustavo Cunha (voz), Aloisio Mello (guitarra), Leonardo Schimidt (bateria) e o recém-chegado Rafael Garcia (baixo) reuniu imprensa e fãs para a audição e a apresentação ao vivo das músicas do seu primeiro trabalho, o EP Instinct, cujos baixos foram gravados pelo produtor do disquinho, Paulo Soza (Tempestt).

O encontro, realizado no Nimbus Studio, teve início às 16h, com os músicos oficializando a entrada do baixista Rafael no grupo e contaram um pouco do processo criativo das canções que fazem parte do disco, como Lead and Flesh, que foi a primeira finalizada, cuja letra fala de suicídio.

Viocety ao vivo
João Messias Jr.
Após a audição do trabalho, a banda plugou os instrumentos e apresentou as canções, que chamam a atenção por não andarem em apenas um estilo, pois transitam pelo thrash, metal moderno e até um pouco do prog atual (esses últimos mais vistos pela guitarra de sete cordas e o baixo de cinco), com destaque para a já citada Lead and Flesh, que é dona de andamentos quebrados e a agressiva e direta Game of Life. Além das músicas de Instinct, o grupo apresentou duas composições novas (inacabadas) e covers para os ícones do thrash Annihilator e Anthrax.

O encontro contou com um espaço para perguntas, que giraram em torno da satisfação pessoal em terem lançado o EP, divulgação das músicas em plataformas como Soundcloud e Bandcamp e a interessante transição do vocalista Gustavo, que veio do heavy e está agora numa linha mais voltada ao thrash. Claro que não faltaram as inspirações e referências de cada um, que apresentou uma variedade, desde o metal clássico de grupos como Slayer, até grupos mais comentados atualmente como John Wayne, Gojira e Avenged Sevenfold.

Viocety, imprensa e convidados
Island Press
Já eram mais de 18h quando a audição se encerrou, que foi positiva tanto para a banda quanto para os convidados, dentre eles os ilustres Raphael Dantas (Andragonia) e Tato Deluca (Aclla). E podemos dizer ao Viocety que o primeiro passo foi dado, de forma positiva. Mas o caminho dessa eterna corrida chamada underground é longo e espinhoso. Tenham perseverança e trabalhem com afinco que os frutos aparecerão.

Apenas uma nota a comentar. O encontro foi feito para poucas pessoas. Não é questão de puxar saco de assessoria ou da banda, mas a dita cena do rock (imprensa e público) não deve apenas estar presente nos grandes shows, pois neste o mainstream já tomou conta. Devem cuidar (e bem) de sua base, que são os eventos pequenos, principalmente aos que oferecem estrutura. Pois grupos que hoje desfrutam de status como Sepultura, Torture Squad e Krisiun começaram desta forma. Pensem a respeito.

Nenhum comentário: