2 de dezembro de 2013

NERVOCHAOS: SINTETIZANDO PASSADO E PRESENTE

Banda paulistana faz pré-lançamento de seu primeiro DVD com apresentação que contou com a presença de antigos integrantes

Texto e fotos: João Messias Jr.

Antes do Nervochaos, um pouquinho do Anvil

HellSakura
João Messias Jr.
O DVD Anvil: The Story of Anvil foi um trabalho que mostrou a geração rocker e headbanger a difícil vida de uma banda para manter sua carreira gravando discos e viajando pelo mundo e aquele sonho de viver única e exclusivamente de sua música é algo para poucos, muito poucos.

Um trabalho perfeito, mas que, apesar de falar de um grupo que não se tornou mainstream, a película tem uma pegada hollywoodiana e talvez por isso, não capte o pessoal do underground, mesmo tendo como “estrela” um grupo do segmento.

Talvez isso mude com o lançamento do DVD 17 Years of Chaos, dos paulistanos do Nervochaos. Como o nome sugere, o trabalho fala da trajetória de 17 anos de vida do grupo, que surgiu após os então membros do Siegrid Ingrid, Gubber e Sidney (guitarras), Thomas (baixo) e Edu Lane (bateria) deixarem a banda e montar outro trabalho.

Claro que esse caminho não foi fácil. Cinco discos de estúdio, um ao vivo e três demo-tapes, além do DVD e diversas mudanças de formação, em que restou apenas Edu, que por diversas vezes remontou o time, que hoje conta além do baterista com Felipe Freitas (baixo), Quinho (guitarra) e Guiller Cruz (guitarra e voz).

Momento Histórico

Necropsya
João Messias Jr.
Foi realizado no feriado de 15 de novembro um encontro para imprensa e convidados o lançamento do DVD, em que foi exibida a primeira parte do documentário, que conta com depoimentos de antigos e atuais membros além de personalidades da mídia metálica e histórias hilárias.

O local escolhido foi o Estúdio Produssom, localizado próximo ao metrô Clínicas, que já recebeu diversos artistas como Desalmado, Cursed Slaughter, Macchina, Tailgunners, entre muitos outros.

Junto com a exibição da película, foi apresentado um show especial, que contou com a participação de antigos integrantes e apresentações das bandas Hellsakura e Necropsya.

Os shows

Ás 20h40, os shows tiveram inicio com o HellSakura. O quarteto, que conta
Nervochaos
João Messias Jr.
atualmente com Cherry Sickbeat (voz e guitarra), Donida (guitarra, Matanza), Napalm (baixo) e St. Denis (bateria) detonaram uma mescla de punk e metal, com destaque para os ótimos riffs, que fazem com que as canções se tornem grudentas, como a trinca Bombs Away, Distorted Mirror e Leave my Skull, todas de seu mais recente álbum, Bloody to Water, lançado em 2011, que por sinal, foi a base da apresentação.

O show também contou com as inéditas Death Row e Gory. Essa última, teve a participação de Guiller nos backing vocals. Outra nova executada foi Heavy Metaro, que é mais pesada e elaborada, além de contar um ótimo trabalho de bateria.

Hate deu números finais ao excelente set apresentado pelo quarteto.

Nervochaos
Divulgação
A segunda banda da noite foi o  Necropsya. Vindo de Curitiba e formado por Henrique Vivi (voz e baixo), Henrique Bertol (guitarra) e Celso Costa (bateria), o trio apresenta uma música solta, que tem base no thrash/death metal, que conta com muitas passagens e quebradas que lembram o grupo cristão Tourniquet, principalmente nos “diálogos vocais”, como pudemos ouvir em Killer, de seu mais recente CD, Distorted.

Era visível a empolgação da banda, que agradecia aos presentes a cada canção executada. Outros destaques do curto set foram Stress e Determinación. Com toda a certeza é uma banda que nós paulistas devemos prestar mais atenção.

Uma bela celebração

Apesar das aberturas pra lá de competentes, os presentes estavam ansiosos
Nervochaos
João Messias Jr.
para conferir a apresentação do Nervochaos. E esse show foi muito especial, pois além de ser gravado para futuro lançamento, contou com a participação de antigos membros.

I Hate Your God deu início à festa. Foi mágico ver no palco Marcelo Miranda (voz, Olam Ein Sof) e Gubber (guitarra, Skinlepsy), Sidney, junto com Felipe e Edu revivendo praticamente a primeira formação da banda. Ainda nos primóridios, Marcelo deu lugar para Sidney e mandaram Mighty Justice, também do debut dos caras, Pay Back Time. Outros ex-membros que participaram da festa foram Covero (guitarra, Voodoopriest), Gordo (voz), Thiago Andúscias (baixo, Amazarak), Wellington (guitarra), Hareton (baixo) e Daniel Blasphemoon (voz). Ter esses caras no palco foi  um momento mágico, por  ver músicas como Televangelism, Total Satan, Cold Feeling e Putrid Pleasures com as formações quase originais.

Nervochaos
João Messias Jr.
O mais interessante foi que, apesar da banda ter mantido uma linha estilística desde os primeiros trabalhos, percebe-se as nuances de cada época, desde a linha mais crossover de I Hate Your God e os momentos mais caóticos de Putrid Pleasures.

Mas não há de se negar que a atual formação é a mais forte da história do hoje quarteto. Com vocais e backings bem encaixados, além da sua própria forma de fazer death metal, que busca inspiração nas bandas mineiras dos anos 80. Dessa formação mandaram a faixa-titulo de seu mais recente álbum, To The Death, lançado no ano passado.
O set passou muito rápido e anunciaram a saideira com Pure Hemp, que fechou com o astral lá em cima essa baita festa.

Enfim, uma noite histórica, que contou com uma excelente organização, apresentações memoráveis e o mais importante, uma ótima presença de público, que foi representado pela imprensa e de bandas como Woslom, Chaos Synopsis, Necromancia, Ação Direta, Necromesis, Queiron, entre outras.

É clichê encerrar dessa forma, mas é a frase que mais cabe nessas linhas: Parabéns Nervochaos e que venham mais 17 anos.

Nenhum comentário: