25 de novembro de 2013

NOVEMBRO NEGRO: A CONSOLIDAÇÃO DO METAL EM SANTO ANDRÉ

Noite contou com seis bandas de variadas vertentes extremas, contou com ótimo público e boas performances

Tesxto e fotos: João Messias Jr.

Rottenness Face
João Messias Jr.
O último 15 de novembro pode ser considerado um dia histórico aqui em Santo André, pois essa data marcou a consolidação do metal na cidade. Não que os andreenses não sejam fãs do estilo ou estão órfãos de shows, pelo contrário. 
Mas a realização do evento “Novembro Negro” é responsável por uma agenda fixa de eventos na região, assim como no Princípios Bar, em São Bernardo e no Cidadão do Mundo, em São Caetano. 

Pois mesmo com eventos como o Rock in Rua e alguns outros isolados, a letra “A” da região precisava de um rolê exclusivo para o metal e suas vertentes. E o fest contou com um cast de respeito, representado pelos grupos Arthanus, Midnightmare, Thrash Empire, Rottenness Face, Insanity Force e Visceral Slaughter foi realizado, no LollaPalooza, ou o "Bar do Ceará", como é conhecido carinhosamente pelos headbangers.

Triste Notícia

Às vésperas do evento, por problemas no vôo, a banda amapaense Visceral Slaughter comunicou pelas redes sociais que sua apresentação seria cancelada. Um duro golpe para público e banda, que é formada das cinzas do grupo Anonymous Hate. Infelizmente fica para outra vez conhecer ao vivo o som dos caras. Uma pena.

O show continua

Infelizmente por conflito de agendas, acabei perdendo as apresentações das bandas da casa, Midnightmare e Arthanus, que segundo as pessoas que conversei, fizeram ótimos sets, que condizem com a competência de ambos.

Já era mais de meia-noite e meia quando o quarteto Thrash Empire iniciou seu set. Vindo de Mogi das Cruzes, o quarteto formado por Rodolfo Souza (voz e guitarra), Natalia Vicent (guitarra), Philippe (baixo) e Wilian Marcondes (bateria) mostraram ao público, que estava em excelente número. A banda, adepta do thrash que retornou aos palcos recentemente e mostrou um repertório baseado em músicas próprias (Destroyer, Dead City e Human War) e covers como Crionics e Seasons in the Abyss (Slayer), The Philosopher (Death) e Breaking the Law (Judas Priest). Competente, mas que precisa lapidar os vocais.

A próxima banda foi o quinteto de Caçapava, Devouring Cadavers. Dono de um death metal brutal na linha Cannibal Corpse, Six Feet Under, chamou a atenção pelas músicas cheias de energia e um bom nível técnico. Diego Oliveira (voz), Thiago Andrade (baixo e voz), Luiz Ferrari (guitarra), Leandro Marques (guitarra) e Felipe Aguiari (bateria) ficaram tão felizes com a resposta do público, que em diversos momentos foram tocar e cantar junto com a galera. Além das próprias Impious Predator, Zombification e Breeding Hate, outro ponto alto foi a versão para Hammer Smashed Face, do Cannibal Corpse.


O Rottenness Face, de Itapecirica da Serra chamou a atenção pelo formato, que era um duo e a ausência do baixo. Formado por Jefferson Pereira (guitarra/voz) e Moacir Santos (bateria), executam um brutal death metal que se destaca pela técnica e passagens cadenciadas. Além das músicas próprias, a dupla mandou versões de bandas como Severe Torture (que contou com o vocalista do Immolated) e Deeds of Flesh.

Coube ao Insanity Force encerrar  a noite. Mas por alguns problemas no som, deixo para comentar a apresentação do trio numa próxima ocasião.

Uma ótima noite, que contou com casa cheia e que com alguns ajustes, tem tudo para tornar o Lollapalooza uma excelente opção de bandas autorais de metal em Santo André. A cidade e nós headbangers agradecemos.

Nenhum comentário: