16 de outubro de 2009

MY HONOUR: KARMA

Que o baixista Felipe Andreoli e o vocalista Thiago Bianchi são muito conhecidos por seus trabalhos no Angra e no Shaman não se discutem, ainda mais por ambos terem ajudado(e muito) na reestruturação destas bandas. Mas antes desta oportunidade chegar até eles, ambos faziam(e ainda fazem) parte de uma banda que foi muito importante para a popularização do Prog Metal no país, numa época em que o Metal Melódico já estava começando a estagnar, salvo os lançamentos das bandas consagradas!
Esta banda chama-se Karma, e possuem dois registros dignos de nota, os álbuns Inside The Eyes e Leave Now, confiram as resenhas de ambos!

Inside The Eyes (2000): Lançado pela Encore Records, este é considerado o primeiro lançamento em formato digipack de uma banda independente (fato que iria se repetir com o disco posterior), e de certa forma a banda inova também no som, pois vem com um trabalho pesadíssimo e com uma boa produção!
A abertura é poderosa com a faixa In The Name of God, com seu ritmo denso e mórbido (e muito pesado), assim como Slandering, Vega, a belíssima The Snow of Sunset(com um show de Thiago e Felipe) e claro, The Speech, onde Thiago faz um dueto com o consagrado André Matos.
Outros grandes destaque são o guitarrista Chico Dehira(que integrou a banda de Paul Di Anno que gravou o álbum Nomad), por compor bons riffs e solos a serviço da música e o tecladista Fabrizio Di Sarno, mandando muito bem nas teclas, fazendo ótimos duetos com o guitarrista!
O único senão do disco são alguns exageros vocais cometidos em algumas músicas, mas levando-se em conta que se trata do primeiro registro, a banda se saiu muito bem no teste do debut!

Leave Now (2007): Esse disco foi algo no mínimo “difícil” para ser lançado, pois a banda enfrentava trocas de formação, problemas de saúde do vocalista, roubo do estúdio, mas creio que todos estes empecilhos acabaram deixando a banda mais forte e com isso lançaram um trabalho muito melhor que o debut.
Procurando dar uma cara nova no som e tentar fugir do comum, a banda “joga” diversos ritmos diferentes no trabalho, deixando-o autêntico, bem dosado e sem exageros!
Uma dessas fusões é percebida logo na faixa Life, onde aparece uns vocais rap no meio da porradaria(cortesia de Mano Bill), as percussões orientais em Buddha, um coral de crianças em Friend, mas os destaques são as faixas “normais” como You, It’s Easier, Crawl(com backings do êx-baixista Tito Falaschi) e a pop Older, uma baladinha água com açúcar que é simplesmente o maior destaque do disco, pois a canção gruda na mente e te cativa de um jeito que...só ouvindo!!!!
Passada a euforia dos lançamentos, Thiago foi para o Shaman, e a banda está digamos em “Stand By”, e infelizmente o guitarrista Chico Dehira deixou a banda, muitos dizem que Eduardo Ardanuy (Dr. Sin/Tork) está com o grupo, mas vamos aguardar notícias concretas e que não demorem sete anos para lançarem outro trabalho!

RESENHAS : THE ROCKER

Nenhum comentário: